GRAVATÁ: Áudio provoca polêmica e agricultor diz que vereador Bolo da Areia o insinuou de ser ‘traficante’

0
1050

O caso foi parar na delegacia. O parlamentar Bolo da Areia (PSB) nega a acusação

Bolo da Areia é um dos 15 vereadores da Câmara Municipal de Gravatá. Atualmente, está filiado ao PSB. (Foto: Reprodução / Facebook).

Igor da Nóbrega

Na noite desta sexta (4), um áudio enviado pelo vereador Bolo da Areia (PSB) para um grupo do WhatsApp provocou indignação no agricultor Linto Viana da Silva Júnior, popularmente conhecido por Júnior do Livro, 35 anos. Nele, o parlamentar diz que “não bancaria tráfico para ninguém”, dirigindo a fala a uma pessoa mencionada apenas como ‘Júnior’.

“Amiga, sabe por que Júnior conhece meu trabalho? Porque Júnior queria que eu bancasse tráfico para ele. E eu fui eleito, eu fui eleito, eu fui eleito pelo povo, para trabalhar pelo povo. Meu nome é trabalho, né para bancar malandro não, viu? Ele sabe o que estou dizendo. Eu encontrei com ele e ele calou-se, viu? Ele se calou. Ele sabe o que tô falando”, afirmou Bolo da Areia, no áudio.

Em contato com nossa redação, Júnior disse que o vereador o insinuou de ser ‘traficante’. Segundo o agricultor, a confusão começou após uma amiga ter mencionado seu nome (Júnior), contestando ainda a atuação do vereador frente à sociedade.

“Eu votei nele, ajudei a fazer a campanha dele. Ele passou uns três anos sem aparecer, intrigou-se de mim. Ele era meu vizinho, na época. no Loteamento Serra Grande. No decorrer do tempo, ele foi criticar a gestão do prefeito, que não tava fazendo na cidade, só que o prefeito que ele estava criticando, foi o prefeito que ajudou a elegê-lo. Eu fiquei indignado com isso e fui criticá-lo, porque a gente nota que a política dele é toda complicada, cheia de problema, não fez nada por ninguém. Quando eu o critiquei, ele achou ruim. Teve uma colega minha, discutindo com ele num grupo do WhatsApp, aí ela disse a Bolo que eu sabia da vida dele, que eu havia trabalhado com ele. mas que Bolo não tinha feito nada por mim e nem pela sociedade de Gravatá. Em contrapartida, a réplica fele foi isso aí”, desabafou.

Júnior explica que não quis ser beneficiado pelo parlamentar. “Eu não queria que ele tivesse feito nada por mim. Eu queria que ele tivesse feito algo pela cidade, pelo bairro que a gente morava, que não tem saneamento básico, não tem posto de saúde, não tem praticamente nada, aqui no Salgadão. A minha revolta com ele foi essa”, afirmou.

Júnior presta B.O. e deve levar caso ao Ministério Público

Diante do caso, o agricultor prestou um Boletim de Ocorrência da Delegacia de Polícia Civil da cidade. “O agente disse que era para eu fazer a queixa na internet. Meu advogado já providenciou a queixa e logo, logo estaremos indo para O Ministério Público.

Bolo da Areia rebate acusação

Nossa redação entrou em contato com o vereador Bolo da Areia, na manhã deste sábado (4), que rebateu a acusação. “Bom dia Igor, do Mais Mais Agreste. Igor, esse caso aí , essas conversas aí, eu desconheço. Porque eu mandei um áudio, mas eu não direcionei para ninguém. Eu não especifiquei para alguém não, entendeu? Eu desconheço isso aí. Desconheço, não conheço essa pessoa que tá falando aí (Júnior do Livro), não conheço, sei nem quem é, tá ok amigo? Então um bom dia e um abraço para todos”, destacou.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui