GRAVATÁ: Alunos da Escola Edgar Nunes Batista desenvolvem projeto pedagógico de reciclagem do lixo

0
589

Os alunos produziram coletores específicos para determinados materiais – papel, papelão e metal

Foto: Ricardo Labastier / SECOM

Mais Agreste, com SECOM

Alunos da Escola Edgar Nunes Batista vem realizando uma importante atividade pedagógica para transformar a rotina da comunidade escolar gravataense, no Agreste do estado. O projeto “Lixo: nada se perde, tudo se transforma” está promovendo a educação ambiental dos estudantes, através de uma coleta de lixo correta e consciente na referida instituição de ensino, para que o material seja reciclado, posteriormente. A iniciativa acontece desde o mês de março.

De acordo com a direção da escola, a ação foi uma iniciativa das professoras de Ciências, Ana Keila, e de Geografia, Areli Andrade. Dessa forma, para que os estudantes, professores e funcionários passassem a fazer a seleção correta dos materiais recicláveis, os próprios alunos produziram coletores específicos para determinados materiais – papel, papelão e metal -, que foram distribuídos em todas as salas e no pátio da escola.

“Esse projeto não traz benefícios somente para os alunos e professores, mas, também, para toda a comunidade. A partir do momento em que produzimos lixo, somos responsáveis pelo lugar onde vamos jogá-lo. As mudanças de comportamento já são notórias na escola, mas a maior contribuição é para a própria preservação do meio ambiente”, explicou a professora Areli Andrade.

A gestora da unidade, Suzana Batista, aforma que os funcionários têm levado o lixo das próprias residências para fazer o descarte correto na escola. “Quando a ideia nos foi passada, decidimos desenvolver a iniciativa em toda a escola. Nosso principal objetivo é fazer com que as crianças compreendam a importância da reciclagem, da reutilização e da proteção ao meio ambiente. Aqui, os alunos aprenderam, projetaram e executaram o que foi aprendido no dia a dia. Nossa escola acredita que os projetos são importantes, porque eles permitem que o jovem construa e isso é fundamental para o processo de aprendizagem”, destacou.

Segundo a estudante do 8° Ano, Beatriz Lira, a iniciativa não apenas cuida da limpeza e reciclagem da escola, como também da própria cidade. “Aprendi sobre como reciclar e, ainda, quais são os benefícios disso. Quando não reciclamos, prejudicamos a nós mesmos e toda a natureza. O recado que eu dou é que devemos ter mais consciência, pois, fazendo isso, estamos tendo cuidado com a nossa saúde, com a nossa cidade, com os animais e com todo o planeta”, enfatizou.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui