Pernambuco lidera ranking nacional em transparência no combate ao coronavírus, diz ONG

0
685

A OKBR afirma que 90% dos estados não divulgaram dados suficientes para o monitoramento da situação da pandemia no país

Foto: Pedro Alves / G1

Último Segundo – IG

Um estudo feito pela ONG Open Knowledge Brasil (OKBR) avaliou a transparência dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal, no âmbito do combate ao novo coronavírus (Sars-CoV-2) no país. Com base em critérios pré-estabelecidos, Pernambuco lidera o ranking nacional.

A seção brasileira da Open Knowledge International também concluiu que apenas um estado, o Tocantins, tornou público o número de testes de diagnóstico da Covid-19 disponíveis para a população.

Além disso, a OKBR descobriu que 90% dos estados não divulgaram dados suficientes para o monitoramento da situação da pandemia no Brasil até o momento, incluindo o Governo Federal.

Foram analisados boletins epidemiológicos na internet, informes e demais dados a partir dos portais oficiais dos governos estaduais e de suas respectivas secretarias de Saúde, com base no conteúdo disponibilizado até a manhã da última quinta (2).

Além do detalhamento de informações, como idade, sexo e hospitalização dos brasileiros diagnosticados, foram avaliadas a oferta e ocupação de leitos, bem como a quantidade de testes disponibilizados e realizados e o formato das plataformas onde as informações podem ser acessadas (como código aberto e planilhas editáveis, por exemplo), além do grau de detalhamento por municípios e bairros.

Com base no levantamento, a OKBR criou um índice de avaliação dos estados. Pernambuco foi o único ente federativo a atingir um nível alto de transparência, com 81 pontos entre 100 possíveis. O Ceará, terceiro estado mais afetado pelo coronavírus, ficou na segunda colocação com 69 pontos. O Rio vem em terceiro lugar, com 64 pontos. Ambos foram enquadrados na faixa considerada “boa”.

Cinco estados tiveram desempenho médio, incluindo Minas Gerais, e a transparência de 11 outros foi classificada como baixa, como é o caso de São Paulo. O governo federal também foi incluído nesta categoria.

O pior desempenho está entre os estados “opacos”, que, na avaliação da ONG, precisam avançar consideravelmente na publicação de dados. São, ao todo, oito. Pará e Rondônia , na lanterna do ranking, receberam nota zero.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui