Em ato pró-golpe, Bolsonaro tosse bastante e reacende discussão sobre não estar com coronavírus

0
324

O breve pronunciamento do chefe do Executivo foi interrompido, diversas vezes, por uma forte tosse, um dos principais sintomas do Covid-19

Foto: Gabriela Biló / Estadão Conteúdo

Igor da Nóbrega

Na tarde desta sexta (19), em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chamou à atenção durante um ato que pedia intervenção militar, a volta do AI-5 (Ato Institucional Nº 5) e o fechamento do Congresso e do STF, Bolsonaro. O discurso do chefe do Executivo foi interrompido, diversas vezes, por uma forte tosse.

“Todos no Brasil têm que entender que estão submissos à vontade do povo brasileiro. Tenho certeza [tosse] que todos nós juramos, um dia, nossa vida pela pátria. Vamos fazer o que for impossível para mudar o destino do Brasil. Chega [tosse] da velha política. Agora é Brasil acima [tosse]. Agora é Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”, disse Bolsonaro.

A cena reacendeu a discussão sobre o presidente não ter contraído o novo coronavírus, já que a ‘tosse constante’ é um dos sintomas mais fortes e característicos da doença nos infectados.

Bolsonaro se recusa a mostrar exame

O presidente recusou a mostrar os dois exames feitos para o Covid-19, no fim de março. Indagado pelos jornalistas, Bolsonaro afirmou que, pelo fato de ser uma figura pública, pediu para que o exame substituísse nome por números e códigos. “Eu já fiz uso de medicamento de farmácia de manipulação. Quando o médico receitou eu falei – ‘dá para meter um nome de fantasia aí?’ – Porque eu não vou tomar. Eu sou um cara conhecido, pô. Tudo pode acontecer. E assim foi feito. E assim são os meus exames, têm número, têm código. Lógico que não vêm com meu nome”, afirmou durante uma coletiva de imprensa, no dia 27 de março.

Presidente contraria recomendações da OMS

Desde o início da quarentena, estabelecida pelo próprio Ministério da Saúde, Bolsonaro vem contrariando contrariando recomendações da própria Organização Mundial da Saúde (OMS) quanto às medidas contra o coronavírus. De lá para cá, o presidente já visitou parte do comércio de Brasília, apertando a mão de militantes políticos e comerciantes.

Confira, abaixo, o discurso do presidente:

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui