Polícia Federal teria identificado Carlos Bolsonaro como mentor de fake news contra STF

0
863

Os policiais responsáveis pelas investigações garantem que o filho do presidente, também conhecido como 02, é o condutor de ataques ao Supremo e ao Congresso

Foto: ALERJ

IstoÉ

A discordância entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro Sergio Moro em relação ao diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, ganhou novas possíveis explicações. Uma equipe da, PF que investiga as fake news contra o Supremo Tribunal Federal (STF), teria identificado o mentor das publicações. Carlos Bolsonaro (Republicanos), conforme apuração de Vicente Nunes, do Correio Braziliense.

Na operação, os policiais responsáveis pelas investigações garantem que o filho do presidente, também conhecido como 02, é o condutor de ataques ao Supremo e ao Congresso.

Com isso, quando todo o aparato da investigação apontar para Carlos como o mentor, a crise estará instaurada. Além disso, ainda segundo a coluna, há um processo aberto pelo STF para investigar esse movimento de notícias falsas.

A equipe que investiga o caso aberto pelo STF para analisar fake news também vai apurar quem foram os autores do protesto pró-ditadura, no qual Jair Bolsonaro participou no último domingo (19).

Possível demissão de Sergio Moro

Caso o presidente force a demissão de Valeixo, terá também de aceitar a saída de Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Nesse sentido, Bolsonaro escolherá defender o filho em detrimento do ministro que possui forte apelo popular.

Os agentes estão respaldados de provas dos ataques ao órgão supremo do Judiciário e à democracia. Entretanto, com a saída do atual diretor-geral, o presidente pode intervir na divulgação das provas, o que depende do nome indicado para o comando da entidade.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui