No Nordeste, Estados ignoram alta de casos e UTIs cheias e reabrem atividades econômicas

0
371

Oito dos nove estados estavam, até esta terça (30), com mais de 70% dos leitos de UTI ocupados

Os shoppings do Recife foram reabertos no dia 22 de julho. (Foto: Reprodução / TV Globo)

Mais Agreste, com UOL

Apesar de ser a segunda região do país com mais mortes provocadas pela COVID-19, O Nordeste vem acompanhando diversas capitais reabrirem as atividades comerciais, ao mesmo tempo em que as Unidades de Terapia Intensiva (UTI) estão quase lotadas com casos da doença.

Os últimos boletins divulgados por nove estados da região, nesta terça (30), revelam 480 mil casos e 19.278 mortes confirmadas pelas secretarias estaduais de saúde. Oito dos nove estados estavam com mais de 70% dos leitos de UTI ocupados.

De acordo com o comitê científico do Consórcio Nordeste, nos locais em que a ocupação de leitos de UTI chegam a 80%, a recomendação é que decretem isolamento mais rígido (o lockdown), para assegurar que o Sistema Único de Saúde (SUS) não entre num colapso.

Em nível de região, o Rio Grande do Norte dá início, nesta quarta (1º), a retomada do comércio. O estado possui a maior taxa de ocupação de leitos de UTI da região, com 95% dos 154 leitos públicos ocupados até esta terça. Na rede privada, por sua vez, a ocupação chegava a 90% das 111 vagas de terapia intensiva. Durante toda a semana passada, pacientes ficaram na fila de espera por vagas.

Em Pernambuco, além da retomada das atividades comerciais em diversas cidades, o Governo do Estado permitiu ainda a reabertura das praias. O chamado Plano de Convivência com a Pandemia, apresentado no dia 11 de junho, envolve cinco fases de convivência com a pandemia, que podem avançar ou retroceder de acordo com uma análise permanente dos indicadores de risco e relevância das atividades econômicas. Em Recife, o decreto estadual permitiu abertura do comércio atacadista e dos shoppings para coleta e entrega.

Em contrapartida, algumas das principais cidades de Pernambuco não foram incluídas no Plano de Convivência com a Pandemia, a exemplo de Caruaru e Bezerros. Os referidos municípios do Agreste pernambucano iniciaram, na última sexta (26), um isolamento social mais rígido, já que foram responsáveis por 71% do aumento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), em toda a região do Agreste, há duas semanas.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui