Pais são presos com suspeita de estuprar oito filhos, além de netos e sobrinhos; crimes teriam acontecido nos últimos 20 anos

0
296

O casal foi preso pela Polícia Civil nesta sexta (7); delegada relata as denúncias realizadas pelas filhas mais velhas

Da esquerda para a direita: delegado Darlson Macedo, gestor do DPCA; delegada Polyanne Farias, diretora da DIRESP; e delegada Vilaneida Aguiar, titular da 2° DPCCAI. (Foto: PCPE / Divulgação)

Correio Notícias

Um histórico triste de abusos sexuais foi registrado em uma uma família de Jaboatão dos Guararapes, na região metropolitana do Recife. O pai, pedreiro de 45 anos, é acusado de estuprar os oito filhos, além de netos e sobrinhos nos últimos 20 anos. A mãe, 44, é apontada como cúmplice por acobertar e atrapalhar qualquer tipo de denúncia das vítimas. Ambos foram presos pela Polícia Civil, nesta segunda (3).

Durante uma coletiva de imprensa, a delegada Vilaneida Aguiar, da 2ª Delegacia de Crimes Contra a Criança e Adolescente e Atos Infracionais (DPCCAI), expôs o caso ao público. “Era a casa dos horrores. Um ciclo de crimes horrendos que aconteciam”, comentou.

De acordo com a delegada, a história a polícia recebeu, no dia 21 de julho, três filhas do casal, que resolveram contar os crimes de estupro. “As mulheres resolveram denunciar o caso porque estavam muito preocupadas, porque eles residiam ainda com outros filhos em casa. Elas contaram que foram abusadas quando eram crianças e adolescentes. O pai drogava, ameaçava, batia para continuar praticando esses atos hediondos e a mãe encobria, dizia que todos iam passar fome, não tinha para onde ir, que os filhos tinham que negar quando alguém perguntasse”, revelou Vilaneida.

O pai chegava a dopar algumas vítimas para que elas não se lembrassem de nada. “Ele praticamente abusou de todos os filhos quando eram pequenos. E há suspeita de que ele continuasse abusando quem morava em casa”, prossegue. Até o momento, os indícios mais concretos são de seis filhos. As crianças pequenas passarão por exame sexológico”, explicou a delegada.

Os abusos tiveram início quando a filha mais velha, hoje com 24 anos, ainda tinha apenas cinco anos. Na época, o pai provavelmente usava substâncias na comida. “Ela suspeita disso, de que era dopada na refeição. Quando ainda morava na mesma casa, ela parou de comer e, assim, pararam os abusos”, acrescenta.

Segundo a Polícia Civil, o homem fugiu de casa ao perceber que seria preso, mas acabou sendo localizado em seguida. Já a mãe, que corria o risco de ser linchada pelos vizinhos, foi acolhida por uma das filhas maiores, junto com as duas crianças, a adolescente e o outro cadeirante.

Os crimes também estão sendo investigados contra dois netos – de 2 e 3 anos – e duas sobrinhas.

O casal responderá por transgressões de estupro, estupro de vulnerável e concurso para o crime. O pai foi encaminhado para o Centro de Triagem (Cotel) de Abreu e Lima. Já a mãe, para a Colônia Penal do Bom Pastor, na Iputinga, Zona Oeste do Recife. “Cada um responde na medida de sua participação. A mãe também é culpada, pois o crime que praticamente acontece há 20 anos no seio familiar e ela encobria. Não há justificativa alguma para eliminá-la de responder por esses crimes”, concluiu a delegada.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui