Pesquisa falsa mostra candidato Joselito Gomes (PSB) liderando intenções de votos em Gravatá

0
2240

A imagem revela ainda resultados de duas outras cidades – Bezerros e Caruaru

A imagem está sendo compartilhada nas redes sociais. (Foto: Reprodução / WhatsApp)

Igor da Nóbrega

Uma pesquisa falsa e não registrada na Justiça Eleitoral mostra um dos candidatos da oposição, Joselito Gomes (PSB), liderando as intenções de voto nas eleições 2020 no município de Gravatá, no Agreste do estado. A imagem, que vem sendo compartilhada nas redes sociais desde esta terça (13), revela ainda resultados de duas outras cidades – Bezerros e Caruaru.

Na pesquisa ilegal, Joselito Gomes aparece com 46,8% das intenções de votos, seguido por Joaquim Neto (PSDB), 37,8%, e Rodolfo Silva (Cidadania), 2,4%. O candidato Delegado Wilson não conseguiu pontuar.

Nossa redação entrou em contato com a assessoria de comunicação do psbista. Segundo o jornalista Rodolfo Lima, o resultado da presente pesquisa não foi compartilhado pela coligação Frente Popular de Gravatá. “Todo e qualquer material divulgado pela campanha do Padre Joselito e Darita deve ter a assinatura da campanha e publicada em nossos canais oficiais, que no momento são: os perfis no instagram: @padrejoselito e @darita_gravata e no Facebook: Padre Joselito e Junior Darita. Esse resultado não publicado por nós, partiu do próprio povo, portando, não temos responsabilidade sobre esse conteúdo”, explicou.

Nas redes sociais, o candidato Rodolfo Silva criticou a veiculação da pesquisa. “A quem interessa a política suja? Até onde vai o ser humano em busca do poder? Aqueles que jogam sujo, são os mesmos que fazem a população sofrer por falta de hospitais, escolas, saneamento, etc. Espero que os outros candidatos: Joaquim Neto, Padre Joselito e Delegado Wilson venham a público se manifestar sobre essa fake news, a população merece uma campanha limpa e honesta, que cada voto seja digno. Nos ajude a combater as fake news. Compartilhem e marquem os outros candidatos, vamos demonstrar que queremos uma campanha honesta”, enfatizou.

TSE fala sobre registro de candidaturas

De acordo com o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as pesquisas de opinião pública relativas às Eleições 2020 ou aos seus pretensos candidatos devem ser previamente registradas na Justiça Eleitoral até cinco dias antes de sua divulgação, por meio do Sistema de Registro de Pesquisas Eleitorais (PesqEle). A regra, que começou a valer no dia 1º de janeiro, é disciplinada pela Resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nº 23.600/2019, que regulamenta os procedimentos relativos ao registro e à divulgação de pesquisas.

Pesquisa eleitoral é a indagação feita ao eleitor, em um determinado momento, sobre a sua opção a respeito dos candidatos que concorrem em uma eleição. De acordo com a resolução, o concorrente cujo registro de candidatura tenha sido indeferido, cancelado ou não conhecido somente poderá ser excluído da pesquisa quando cessada a condição sub judice, ou seja, quando houver um julgamento definitivo sobre o seu pedido de registro.

A resolução prevê a aplicação de sanção às empresas responsáveis pela divulgação de pesquisas sem o prévio registro das informações constantes de seu artigo 2º, entre elas: o nome do contratante; o valor e a origem dos recursos despendidos; a metodologia e o período de realização do levantamento; e o questionário completo aplicado ou a ser aplicado. A multa prevista é de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00.

Confira a íntegra da Resolução nº 23.600/2019.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui