Bolsonaro afirma que “problema da pandemia foi superdimensionado” no Brasil

0
242

Segundo o presidente, o governo e os empresários agiram corretamente ao não embarcar “na onda do ‘fique em casa'”

Foto: Evaristo Sá / AFP

Elizabeth Barbosa*

Na manhã desta quarta (14), o presidente Jair Bolsonaro, por meio de videoconferência, afirmou que o “problema da pandemia foi superdimensionado”. Segundo o chefe do Executivo, se o governo e empresários tivessem “embarcado na onda do ‘fique em casa'”, a situação estaria ainda pior.

A videoconferência foi realizada durante a cerimônia de posse de Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira como presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN) e do Centro Industrial do Rio de Janeiro (CIRJ). Bolsonaro parabenizou o novo presidente, agradeceu aos empresários e disse contar com o setor para o Brasil retomar o crescimento econômico.

“Entramos 2020 e tivemos o problema da pandemia que, no meu entendimento, foi superdimensionado. Desde o começo, eu falei que tínhamos dois problemas pela frente, a questão do vírus e do desemprego, e que eles deveriam ser tratados com a mesma responsabilidade e simultaneamente. Se nós e parte do empresariado tivesse (sic) embarcado na onda do ‘fique em casa, que a economia a gente vê depois’, com toda certeza estaríamos em uma situação bastante complicada no momento”, disse o presidente.

Bolsonaro ressaltou também que, durante a pandemia, a economia gerou 250 mil novos empregos.

“A economia está se recuperando, no entendimento de muitos, de forma muito melhor do que poderíamos esperar. Mês passado, foram 250 mil novos empregos pelo Caged e, obviamente, conversei com Guedes. Se esse número se aproximar do que aconteceu no mês passado, é um sinal mais do que claro de que a economia realmente pegou”, acrescentou.

“Na questão da saúde, também tivemos algum sucesso em relação ao resto do mundo. Em especial quando colocamos um general no MS, não por ser general, mas por ser, em especial, um grande gestor que está fazendo um trabalho excepcional nessa área”, destacou o chefe do Executivo.

Apesar do pronunciamento polêmico do presidente, a última atualização do Ministério da Saúde aponta que o Brasil chegou a 150.998 mortes em razão da Covid-19.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui