RESPOSTA: “Deixamos mais de cinco mil testes rápidos (IGM e IGG) no prazo de validade”, diz ex-diretor do Hospital de Gravatá

0
657

As acusações também foram desmentidas pelo ex-secretário de Saúde, Luiz Ribamar, pela ex-coordenadora do laboratório do Hospital Municipal, Andreza Siqueira

Foto: Bruna Oliveira / SECOM

Igor da Nóbrega

O ex-diretor do Hospital Municipal Doutor Paulo da Veiga Pessoa conversou com nossa redação, na tarde desta terça (5). Na ocasião, o enfermeiro Vítor Verçosa desmentiu as acusações feitas pela nova gestão da cidade de Gravatá, no Agreste de Pernambuco.

“Foram seis testes que se venceram, pois os pacientes agendaram e não compareceram. Contudo, deixamos cinco mil testes rápidos (Sorologia IGM e IGG), além de quase dois mil testes rápidos de Swab, sendo o único município que disponibiliza na região”, explicou o ex-diretor. A manifestação aconteceu após o atual coordenador do laboratório do hospital, Wellison Douglas, informar a existência de testes rápidos, do tipo PCR, que teriam se vencido em dezembro de 2020.

Ainda sobre o assunto, a ex-coordenadora do laboratório do hospital, Andreza Siqueira, também se manifestou nas redes sociais. “A nova gestão deveria ter transparência e citar que foram deixados mais de cinco mil testes rápidos (IGG e IGM) dentro da validade, para serem usados pela população. Sem contar que fomos a única cidade a disponibilizar teste rápido de swab. Deixamos quase duas mil unidades. Antes de publicar críticas desse tipo, deveriam elogiar como encontraram o hospital, que foi tão elogiado pela própria equipe de transição”, destacou.

O ex-secretário de Saúde, Luiz Ribamar, rebateu a denúncia feita pelo atual diretor-geral do Hospital Municipal, Jandilson José, sobre o ‘toldo’ que foi montado no lado externo da unidade. “Não se tratava de tenda. É bom a gente explicar que o ‘toldo’ tinha como principal objetivo diminuir a aglomeração na recepção. A gestão atual falou como se a estrutura atendesse pacientes com Covid-19, o que é uma grande mentira. Outro ponto que ele mentiu foi sobre o prazo de validade ‘vencido’ do equipamento. Realizado através de pregão eletrônico, que eu disponibilizo para todos visualizá-lo, a Ata de Registro de Preços é válida até junho/2021″, atestou.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui