Agência Municipal de Meio Ambiente de Gravatá adota medidas cabíveis contra assassinato de capivaras

0
530

Os animais foram mortos ao redor do Rio Ipojuca, que corta o município, nesta sexta (26)

Capivaras mortas recolhidas pela Guarda Municipal. (Foto: Divulgação)

Igor da Nóbrega

A Agência Municipal de Meio Ambiente de Gravatá, no Agreste de Pernambuco, vem adotando as medidas cabíveis contra o homem responsável pela morte cruel de quatro capivaras fêmeas, nesta sexta (26). Até o momento, o suspeito ainda se apresentou à delegacia de polícia da cidade.

Segundo o fiscal ambiental, Marconi Torres, o infrator responderá pelos crimes de posse de armas de fogo e acionamento de munição contra as capivaras (crime ambiental). “A Polícia Civil tá dando continuidade as investigações. Até o momento, o infrator não foi preso. Ele tem um prazo para se apresentar à delegacia. Contudo, ontem foi levado um representante da família para prestar esclarecimentos”, explicou.

O fiscal explica que a queixa foi realizada junto às Polícias Civil, Militar, além da Guarda Municipal e agência de meio ambiente. “Por volta de 8h30min, recebi uma ligação do comandante da Guarda Municipal, André Paiva, que relatava a denúncia de quatro capivaras mortas. A princípio, a informação é que elas estavam mortas na beira do rio, ao lado da Rua das Crioulas. Ele pediu apoio da fiscalização ambiental e da agência de meio ambiente da cidade. Fomos até o local e constatamos que os animais não estavam daquele lado, e sim nos fundos do quintal de um cidadão que mora ali próximo à Rua da Encruzilhada. De imediato, nós vimos que a Polícia Civil já estava também apurando os fatos”, pontuou.

Marconi lembra ainda que a Agência Municipal de Meio Ambiente deu todo o suporte durante a apuração dos fatos. “No momento, nós alertamos a Polícia Civil, que já estava fazendo a investigação em campo, o risco de ter um arame eletrificado. Graças a Deus, o arame não estava mais no local, assim não colocando em risco a vida dos policiais. Moradores da região nos informaram que existia a possibilidade do responsável pelo crime estar armado, haja visto que ele já tinha feito alguns disparos de arma de fogo contra as capivaras. De imediato, a Polícia Civil já estava de posse das armas de fogo encontradas dentro da casa do infrator”, enfatizou.

A agência também pedirá apoio da vigilância sanitária, já que existem criadouros de porcos e outros animais sem licenciamento ambiental naquela área.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui