Após pressão de médicos e imprensa, Hospital de Gravatá deve voltar a funcionar com quatro médicos

0
603

A Secretaria Municipal de Saúde ainda não se pronunciou em nenhum canal de comunicação da Prefeitura de Gravatá

Foto: SECOM

Igor da Nóbrega

Após pressão de médicos, imprensa e da população, o Hospital Municipal de Gravatá, no Agreste de Pernambuco, deve voltar a funcionar com quatro médicos plantonistas. A informação extraoficial foi repassada à redação do Correio Notícias, na noite desta terça (2).

“A classe médica, que saiu recentemente do hospital, foi informada que a Secretaria de Saúde está voltando atrás e querendo disponibilizar o mesmo número de plantonistas, proposto pela gestão do ex-prefeito Joaquim Neto. Contudo, os médicos que pediram demissão já estão trabalhando em outros locais ou não querem trabalhar em Gravatá novamente”, informou um dos médicos a pedir demissão, que pediu para não ser identificado.

Entramos em contato com o secretário de Saúde, José Edson, que deu outra definição quanto ao futuro do Hospital Doutor Paulo da Veiga Pessoa. “Teremos três médicos (24 horas) é um médico (12 horas)”, disse, sem especificar se o único plantonista de meio-plantão ficará responsável apenas por casos ambulatoriais ou emergenciais.

Até o momento, a pasta não se pronunciou em nenhum canal de comunicação da Prefeitura de Gravatá.

Entenda o caso

No último dia 24 de fevereiro, o médico Dr. Carlos Fraga pediu desligamento das atividades no hospital. O motivo teria sido a diminuição do número de médicos por parte da atual gestão. Na ocasião, o plantonista alegou que a iniciativa acarretaria em sobrecarga e estresse para médicos, enfermeiros e demais profissionais, podendo ainda colocar em risco a vida de pacientes.

Em contrapartida, o secretário nos emitiu uma nota informando que a Secretaria de Saúde de Gravatá estava passando por um processo de reestruturação. Segundo ele, o objetivo é melhorar a questão do atendimento e redirecionar toda a saúde, tratando também algumas questões que não estavam sendo vistas na cidade, a exemplo da prevenção de muitas doenças.

Nove médicos pedem demissão do Hospital de Gravatá

O prefeito Joselito Gomes (PSB) encontrou dificuldades no início da gestão. No último dia 26 de fevereiro, o Correio Notícias trouxe uma matéria destacando o pedido de demissão de nove médicos do Hospital Municipal de Gravatá. O motivo comum seria a sobrecarga de trabalho, o estresse provocado pela diminuição de um médico do local e a retirada do recebimento do quinto plantão.

Falta de alinhamento entre diretores do Hospital de Gravatá e Secretaria de Saúde

Segundo informações repassadas a nossa redação, os diretores do hospital, dentre eles Sidney Ribeiro, e o secretário de Saúde não estão alinhados com as mesmas políticas de saúde pública. O fato pode estar gerando um mal estar entre os envolvidos.

UTI para casos de Covid

José Edson nos revelou ainda que será aberta uma UTI no Hospital de Gravatá. O local deve ser destinado aos casos de Covid-19.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui