Peixes, cestas básicas, pães, sopas e bebidas lácteas: uma realidade da gestão do ex-prefeito Joaquim Neto (PSDB)

0
396

Secretaria de Assistência Social realiza a entrega de sopas a famílias carentes de Gravatá, no ano passado. (Foto: SECOM)

Igor da Nóbrega

A população de Gravatá, no Agreste de Pernambuco, vem sentindo a falta de importantes ações sociais que eram constantemente realizadas pela gestão do ex-prefeito Joaquim Neto (PSDB), num passado recente. Na própria Semana Santa deste ano, as famílias mais carentes – cadastradas em programas sociais – não viram a tradicional entrega de peixes, símbolo que marca a Páscoa no município. A inércia do prefeito Joselito Gomes (PSB), frente ao ocorrido, foi duramente criticada por políticos, autoridades, empresários e até mesmo pelos próprios eleitores.

Até o fim do ano passado, a realidade de Gravatá era outra. No dia 18 de abril de 2019, a Secretaria de Assistência Social realizava a distribuição de 18 toneladas de peixes para 12 mil famílias gravataenses. A iniciativa teve início em 1996, através de Joaquim Neto e da esposa, Fátima Félix. “O número de famílias beneficiadas era bem menor e, graças a Deus, que hoje conseguimos expandir e atender mais pessoas. A gente vira noite sem dormir para deixar tudo pronto para a entrega e ver o sorriso no rosto das pessoas e saber que isso vai garantir uma Páscoa mais farta. Para eles, é o melhor pagamento que a gente pode ter. Tudo vale à pena”, explicou a ex-primeira-dama, Fátima Felix, na época.

Joaquim Neto participa da entrega de peixes na Semana Santa de 2019. (Foto: SECO)

Mesmo sem o peixe na mesa das famílias durante a Páscoa de 2020, por conta do início da pandemia da Covid-19, a Secretaria de Assistência Social implantou outras importantes medidas que garantiram a alimentação diária de adultos, idosos, crianças e adolescentes. “Dia de #TBT. Vamos relembrar nosso programa de distribuição de peixes para a população na Semana Santa. Ação que iniciei ainda no meu segundo mandato, em 2004, e ajudou tantas famílias. 💙 Ano passado, infelizmente não pudemos distribuir devido à pandemia, que era algo tão novo para todos. Pensando em outras formas de ajudar, criamos o programa de distribuição de sopa, distribuímos cestas básicas e criamos o cartão bolsa merenda que ajudou tantos gravataenses”, destacou Joaquim Neto na última quinta (1º), através das redes sociais.

Ainda no ano passado, a população começava a sentir a dura realidade econômica provocada pelo novo coronavírus. Na ocasião, a ONG Novo Jeito ficou sensibilizada com a situação de muitas famílias e resolveu doar 1400 cestas básicas. A entrega dos alimentos contou com a parceria da Prefeitura de Gravatá, por meio do Centro de Inclusão Gravatá (CIG). “Relembrando nossa entrega de cestas básicas, através do Gravatá Solidária, que tanto ajudou a população, no ano passado. Trabalhamos para proteger o povo desse vírus terrível e tentamos ajudar ao máximo as famílias que estavam passando necessidade”, disse Joaquim Neto, na tarde deste sábado (3), através das redes sociais.

Outra importante ação social promovida pela gestão passada foi a distribuição de sopas, pães e bebidas lácteas, que, muitas vezes, garantiam a alimentação diária de milhares de famílias carentes da cidade. Mais uma vez, o programa Gravatá Solidária, que contou com a preciosa parceria e colaboração da Associação de Escoteiros de Gravatá, de empresários e empresas locais, amenizou a fome de muita gente. “Além da distribuição de cestas básicas e produtos de higiene pessoal, nosso Gravatá Solidária ainda ajudou às comunidades do município, distribuindo sopa, pães e bebidas lácteas. Em tempos de pandemia, programas assim ajudam à população mais necessitada a passar por este momento tão difícil, que o mundo está vivendo na esperança de dias melhores”, desabafou o ex-prefeito, ainda nas redes sociais.

Apesar de ter ingressado há apenas quatro meses no Poder Executivo, a popularidade de Joselito Gomes, muitas vezes chamado de “padre” por eleitores, simpatizantes e religiosos, já não é a mesma das eleições do ano passado. O desafio à frente da Prefeitura de Gravatá, principalmente não tendo o apoio da maioria dos vereadores na Câmara Municipal, parece ser cada vez mais desafiante. Enquanto isso, a população mais carente da cidade continua ficando sem segundo plano.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui