Secretária de Assistência Social não recebe moradores contemplados com casas populares

0
312

Comissão de moradores, advogado representante e oito vereadores da oposição em frente à Secretaria de Assistência Social. (Foto: Gilvan Silva)

Igor da Nóbrega

A tarde desta sexta (9) gerou polêmica na cidade de Gravatá, Agreste de Pernambuco. A secretária de Assistência Social e Juventude, Viviane Facundes, não recebeu, na sede do Bolsa Família (prédio do CadÚnico), os moradores contemplados com as casas populares do Programa Minha Casa, Minha Vida. O grupo estava acompanhado por um advogados e oito vereadores da Câmara Municipal.

Segundo informações da comissão, após aguardarem pela secretária por mais de 40 minutos, sem sucesso, os presentes deixaram o local. Os parlamentares que participaram da iniciativa são Adeildo do abacaxi, Bruno Sales, Gil Dantas, Léo do ar, Nino da Gaiola, Regis da Compesa, Tadeuzinho e Tonho da Rodoviária.

O sorteio das habitações aconteceu ainda na gestão do ex-prefeito Joaquim Neto (PSDB).

Em contrapartida, a Prefeitura de Gravatá divulgou, ainda na tarde de hoje, nas redes sociais, um vídeo relatando o ocorrido. Segundo Viviane Facundes, o grupo estaria causando tumulto, constrangimento, desconforto e colocou em risco a vida de outras pessoas presentes. “Eu prontamente pedi um momento aqui, de mais ou menos meia hora, para que eu pudesse organizar a sala de reuniões, para atender a uma representação daquele pessoal que estava reivindicando seu direito, na frente da secretaria. Estamos trabalhando para fazer a entrega dessas casas. Não estamos aqui com o intuito de fazer injustiça, mas sim a justiça”, afirmou.

A secretária afirma ainda que a pasta recebeu denúncias sobre inscrições realizadas no dia 20 de novembro de 2020, após as eleições do ano passado. “Quero dizer também que algumas pessoas foram enganadas e posso dizer que a maior parte delas foi enganada, porque quem fez a sua inscrição no tempo certo, no tempo que foi feito e publicado o edital, ainda não recebeu as casas justamente por conta das pessoas que fizeram a inscrição após o edital”, completou.

O prefeito Joselito Gomes (PSB) também se pronunciou sobre o assunto. “Nossa preocupação era entender, ter esclarecimentos sobre todo o processo que diz respeito as casas. Os esclarecimentos são necessários tanto para a gestão, quanto para o Legislativo, quanto para a população e, de um modo muito especial, às famílias que preencheram os critérios e apresentaram os documentos e fazem parte de uma lista.

Deixar um comentário

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui